sábado, 25 de abril de 2009

Chega dessa mania de pedágio

Novamente estou eu aqui a falar desses "pedagiários" das universidades. Hoje mesmo vi vários deles com faixas pedindo grana para ir a um evento de comunicação, todos num semáforo da 13 de Julho, bem vestidos, esperando pela ingenuidade de alguns condutores que possam entregar os seus trocados.
Nessa espera, eles vão juntando um bom dinheirinho, que eu já ouvi falar. Depois, quem sabe, fazer um passeio na cidade onde acontecerá o tal "encontro do curso", divertir-se a valer e, para alguns, gastar a bufunfa na "fumaça". Nada contra, mas...apenas não acho que meus trocados teriam serventia nas mãos de estudantes de classe média, que tem papai e mamãe bancando a maioria dos caprichos e ainda "esmolam" nos sinais das esquinas em busca dos tolos.
Vou mandar pintar uma faixa com a seguinte frase: "Abaixo os pedagiários". Quem sabe assim, espanto muitos deles e resolvo um dos problemas da falta de bom senso no mundo...

9 comentários:

Dilson Ramos disse...

São, na verdade, uns chatos. Se não podem ir ao evento, que fiquem em casa...

Max Alberto disse...

Prezados,
respeito as sua opniões,nunca fiz pedágio, pois na minha época ainda não tinham importado essa idéia para Aju, porém, é válido ressaltar que uma graninha a mais para aproveitar um encontro de estudantes é sempre bem vinda. Não sei a realidade financeira de suas famílias ou das influências dela para conseguir-lhes estágios, mas dentro do universo do curso que estudei, o perfil dos alunos é na sua grande maioria de classe baixa. Muitos viajam com seus dinheirinhos contados, fazem um sacrifício em nome da iniciação científica e aproveitam para fazem um turismo barato.
Ao meu ver, essas experiências universitárias a depender do contexo em que se dá, enriquecem muito mais do que prender o aluno em palestras enfadonhas e altamente teóricas.
Não concordo com a opinião de vcs qd falam que " se não podem ir ao evento, fiquem em casa" ,isso é um absurdo!!!
Não é porque uns nasceram em berço esplêndido que podem participar e outros que não foram privilegiados não podem.
Se não concordam em ajudar aos estudantes, é simples, não dá nada e deseja boa viajem, porém, difundir um pensamento elitista e capitalista num país onde as discrepancias sociais são inúmeras...é um absurdo!!!!
Um forte abraço de um ex- aluno universaitário, que viajou bastante com aluno, fez o seu turismo barato e enriqueceu seu curriculum e hoje é um bom profissional, mesmo tendo viajado com quase nada de dinheiro!!!!

Lara Aguiar disse...

Prezado Max Alberto, não consigo entrar no seu blog para conversar. Então, vou responder aqui mesmo.
Bom, Max, acredito que você deve ter viajado com boas intenções, com vontade de absorver algum tipo de conhecimento. Porém, sabemos que a maioria não compartilha desse mesmo ideal e simplesmente só quer saber de festa. Isso, quando não pega a grana e vai pra o primeiro boteco da esquina gastar com cerveja. Eu falo isso porque conheço alguns assim. Como confiar nessas pessoas?
Quero dizer também que não estou generalizando quando falo que só querem curtição. É claro que devem ter alguns com interesses estudantis, mas eu não acho que essas viagens façam tanta diferença na vida de um aluno. Essa é a minha opinião.
Também incluo aí aqueles estudantes que enchem o saco no sinal (já não chega a situação em que o país vive? é tanta gente no sinal, precisando tanto de comida) pra fazerem suas festinhas de formatura. Aí é mais absurdo ainda. Ora, não tive festa de formatura e sobrevivi. Isso é supérfluo. Fazemos o que podemos. Agora, ir ao semáforo, ficar dando uma de pobre (sim, alguns ali não são os pobrezinhos que você comentou) pra curtir uma festa? Olha só, até minha colação de grau eu paguei com o dinheirinho do meu estágio (Por sinal, não tenho parentes que me ajudem, infelizmente. Bem que eu queria ter um tio deputado...)
Enfim, se fossem situações organizadas, que eu tivesse a certeza de que este dinheiro estaria sendo bem aproveitado, ainda vá lá. Mas, assim, na clandestinidade das esquinas, sinto muito.
E outra: por que tanta preguiça com palestras altamente teóricas?
Eu amavaaa isso na universidade! É questão de escolha.
Não temos pensamentos elitistas, saberia valorizar muito bem alguém que realmente quisesse estudar em algum congresso da vida.
P.S.: Na frase "não dá nada e deseja boa viajem", a palavra correta é "viagem", com "g".

Sanatório disse...

Contribuir com a "fumaça" do pessoal é válido. Sem "fumaça" não tem via"g"em.

Lara Aguiar disse...

kkkkkkk
Essa foi a resposta mais criativa!

Max Alberto disse...

OK Lara, obrigado pela correção no português, certamente foi por conta da pressa ao escrever!
VC não conseguiu escerver no meu blog porque eu não tenho, encontrei o seu por intermédio de uma leitura que fiz no blog de Suyane do JC, como não concordei com o seu pensamento, então resolvi expressar minha opinião.
Forte abraço!!!

Max Alberto disse...

Ahh, quando me refiro a "palestras altamente teóricas e enfadonhas" sei que é questão de escolha, mas como geógrafo, prefiro aulas práticas e trabalhos de campo, ou mesmo uma fugidinha a um bom museu ou mesmo um mercado público, já que a parte teórica era muito bem trabalhada pelo corpo docente altamente gabaritado do curso de Geografia da UFS, onde estudei!

Anônimo disse...

Concordo sem mudança de nenhuma 'virgula' com Max. Horrível pensamento de vcs. Se não colaboram, tudo bem, ninguem é realmente obrigado a colaborar. E... altamente preconceituoso a visão de que os estudantes utilizariam para 'beber'. Fiquei sinceramente enojada com o pensamento. Em pensar que quem escreveu este texto foi um ser formado em jornalismo, letras e pós-graduada em filosofia... Triste... Eu ajudo e continuarei colaborando com eles, pois sei a realidade de grande parte deles afinal, já fui um deles e acredite, é humilhante realizar pedágio, e essa não é a forma mais fácil de 'ganhar dinheiro fácil', e muito menos consideramos 'tolos' aqueles que colaboram...

Anônimo disse...

PEDÁGIO,
FALE COM O SERRA!!!!!!