quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Ousadia natural


Alguém já leu "O amor natural", de Carlos Drummond de Andrade?

Mesmo sendo mais conhecido por suas poesias de cunho social e romântico, Drummond não deve ser esquecido quando se fala em literatura erótica brasileira. Mas não estou falando de um erotismo pelo erotismo, onde a frivolidade dos desejos é o que interessa, mas sim de um erotismo recheado de significado, emoldurado com muita delicadeza e sugestões sutis.

Curiosidade: Este livro com poesias eróticas não foi publicado em vida. Drummond era pudico demais para se expor. Um certo dia, acharam em sua gaveta essa obra ímpar.


Experimente um poema:


A língua lambe

A língua lambe as pétalas vermelhas
da rosa pluriaberta; a língua lavra
certo oculto botão, e vai tecendo
lépidas variações de leves ritmos.

E lambe, lambilonga, lambilenta,
a licorina gruta cabeluda,
e, quanto mais lambente, mais ativa,
atinge o céu do céu, entre gemidos,
entre gritos, balidos e rugidos
de leões na floresta, enfurecidos.


Carlos Drummond de Andrade

2 comentários:

suyenecorreia disse...

Bonita, está arrasando, hein??
Estou gostando de ver este blog, a maneira de vc colocar os sentidos aguçados à palmatória do mundo insensível...
Alguém vai 'enxergar' vc, podes crer. Este é apenas o início de um longo infinito. Vá fundo, atrás das 'partículas elementares' de seu ser.

Suy

baianoefogo disse...

Minha cara, boa sorte no seu novo blog. As notícias aqui no jornal é de que a senhorita está trabalhando de manhã, de tarde e de noite. Então nada mais natural do que lhe desejar... um bom trabalho! :)

Ah, e como é bom o Drummond. Dá até pra fazer um hai kai!

Estácio